Skip to content

Garmisch-Partenkirchen: aos pés do Zugspitze

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
O que fazer em Garmisch-Partenkirchen: o charmoso vilarejo alpino aos pés do Zugsptize, o topo da Alemanha.
Garmisch-Partenkirchen nos Alpes da Alemanha

Em dezembro de 2017, fizemos uma viagem pela Alemanha e Áustria, a fim de de curtir o clima de Natal e explorar a região dos Alpes nos dois países. Dessa maneira, na Alemanha, o roteiro foi focado na região da Baviera e incluímos Garmisch-Partenkirchen, uma típica cidade dos Alpes, próxima a montanha mais alta do país, Zugspitze. Assim, compartilho aqui todas as dicas da nossa viagem: como chegar, por que ir, onde comer e o que fazer em Garmisch-Partenkirchen,  bem como no Zugspitze e como chegar ao topo da Alemanha.

Aliás, para ver todas as dicas do planejamento da viagem inteira, não deixe de ler o nosso “Roteiro de carro e trem pela Alemanha, Áustria e Eslováquia”.

COMO CHEGAR EM GARMISCH-PARTENKIRCHEN

Nós fizemos o trajeto Munique – Garmisch-Partenkirchen de carro, até porque optamos por fazer um pit stop estratégico no Neuschwanstein.

Já para quem for direto de Munique, é um percurso com cerca de 100 km, e existem outras opções de transporte, como trens regionais (vale conferir o Bayern Ticket) ou ônibus (via Flixbus).

Como chegar em Garmisch-Partenkirchen
Visual da estrada para chegar em Garmisch-Partenkirchen

POR QUE IR A GARMISCH-PARTENKIRCHEN

Uma cidade no coração dos Alpes da Alemanha, aos pés do Zugspitze, o ponto mais alto do país. Além disso, a singularidade de Garmisch-Partenkirchen  está nas obras de artes expostas nas casas da cidade, uma vez que é típico nessa região haver afrescos nas fachadas. Ou seja, realmente uma graça!

Além disso, o fato de ser uma cidade menor que outros destinos de neve que veríamos na viagem. Nesse sentido, confesso que na primeira impressão achei a cidade grande demais para o que eu esperava ser um vilarejo. Mas minha opinião logo mudou ao passear pela aconchegante rua Am  Kupart, onde além dos desenhos, havia um singelo e simpático centrinho, com pista de patinação no gelo e um pequeno mercado de Natal. Aliás, nessa linha, a rua Ludwigstraße também parece ser bem típica de centrinho histórico da cidade, sabe? Logo, tente incluir no roteiro! 

Natal em Garmisch-Partenkirchen
Barraquinha de Natal em Garmisch

Ainda: se você também for nesse época, para ver a nossa experiência natalina completa, não deixe de ler o post completo sobre “As 10 cidades na Europa para viver o clima de Natal” que visitamos nesta viagem, na Alemanha, Áustria e Eslováquia.

Natal em Garmisch-Partenkirchen
Decoração de Natal em Garmisch-Partenkirchen, uma vila cercada pelos Alpes

ONDE FICAR EM GARMISCH-PARTENKIRCHEN

Em resumo, vejo duas linhas de hospedagem excelentes em Garmisch-Partenkirchen, dependo do seu objetivo.

A primeira é ficar nos pés da montanha. Assim, um hotel que parece se destacar, para quem buscar uma viagem mais luxuosa, é o Das Graseck. Ainda há a possibilidade de se hospedar nas cidadezinhas menores nos arredores, como Grainau, por exemplo, que é inclusive mais próxima do Zugspitze.

A segunda, que foi a nossa, por sinal, é ficar o mais perto possível do centrinho, no caso, da rua Am Kurpark e da Marienplatz, que é onde há todo um clima aconchegante de vila alpina e as típicas pinturas nas fachadas.

Ficamos no Hotel Zugspitze e achamos um bom custo-benefício: excelente localização, quartos bem espaçosos, assim como bom café da manhã e boa infra (ainda que não tenhamos tido tempo de usar a sauna e piscina aquecida).

Centro de Garmisch-Partenkirchen, dica de hospedagem em Garmisch-Partenkirchen
Centro turístico de Garmisch

ONDE COMER EM GARMISCH-PARTENKIRCHEN

Apesar de não termos tido muito tempo para aproveitar muito a culinária de Garmisch-Partenkirchen, demos a sorte de ir a um restaurante que adoramos: ZUM WILDSCHUTZ. Isso porque ele é bem aconchegante e tem ótimo atendimento, fora o principal, é claro: pratos deliciosos! Em tempo: se for a noite, é mais garantido fazer reserva.

O QUE FAZER EM GARMISCH - PARTENKIRCHEN

CENTRO HISTÓRICO E AS FACHADAS DE GARMISCH - PARTERNKIRCHEN

  • Marienplatz e a rua Am Kurpark
  • Rua Ludwigstraße
Centro e Rua Am Kurpark, dica sobre o que fazer em Garmisch-Partenkirchen
Centro turístico de Garmisch e Rua Am Kupark coberta de neve

PARTNACHLAMM (PARTNACH GORGE): NATUREZA EM GARMISCH-PARTENKIRCHEN​

É um desfiladeiro com águas verdes, que pode ser observado das passarelas que ficam na sua lateral. Além disso, no inverno, quando fomos, tinha um fenômeno, oficialmente chamado “sincelo”, que deixa a paisagem ainda mais pitoresca. Certamente é um daqueles fenômenos naturais inesquecíveis e que valeu muito a pena ter conhecido em Garmisch-Partenkirchen!

Quanto à ida: chegamos de carro. O estacionamento é Estádio Olímpico de Esqui e depois tem que andar uns 20 minutos.

Confira todas as informações no site da atração.

Partnachklamm, em Garmisch-Partenkirchen
Sincelo no desfiladeiros Partnachklamm

ZUGSPITZE: COMO SUBIR NA MONTANHA MAIS ALTA DA ALEMANHA A PARTIR DE GARMISCH-PARTENKIRCHEN

Zugspitze é a montanha mais alta da Alemanha, com 2962 metros, e é simplesmente um programa imperdível para quem estiver na região.

Você pode chegar lá por um trem de cremalheria, que sai de Garmisch-Partenkirchen e passa pelas estações Grainau e Eibsee. Porém, nós optamos por ir de carro até a estação Eibsee, não apenas pelo passeio, como para contemplar o lago. Lá estacionamos, compramos o ingresso e seguimos o caminho, onde a estação final, a Zugspitzplatt, já é no glaciar.

Zugspitze, a montanha mais alta da Alemanha
Zugspitze, a montanha mais alta da Alemanha e o restaurante Zugspitze Gletscherrestaurant

Dito isso, no glaciar, que está a 2600 metros de altitude, tem neve para brincar, fazer trenó e esquiar. 

Há também um restaurante, o “Zugspitze Gletscherrestaurant”, onde fizemos uma pausa. Minha opção foi um chocolate quente,  muito bem vindo, uma vez que  a temperatura era de – 13 graus, mas também havia cervejas e sopas.

Felizmente, estava um lindo dia de Sol e céu azul e, embora com temperatura negativa, o clima estava bem agradável. Tanto que conseguimos até fazer um boneco de neve!

Boneco de neve, sobre o que fazer no Zugspitze
Boneco de neve no Zugspitze

Em seguida, pegamos um funicular/teleférico, o Gletscherbahn, que nos deixou em um mirante, onde está a cruz que representa o topo da Alemanha. Depois, almoçamos lá em cima mesmo (porém, li que o restaurante em que fomos está fechado).

O topo da Alemanha, Zugspitze
Topo da Alemanha, Zugspitze

Na volta, pegamos um bondinho, Eibsee-Seilbahn, do topo até à estação do lago Eibsee, onde nosso carro estava estacionado. Para quem veio de trem de cremalheira desde de Garmisch-Partenkirchen, o retorno se dá por ali mesmo.

Lago Eibsee, arredores do Zugspitze
Lago Eibsee visto do bondinho

Dica Extra

Na ida, pelo que entendemos depois, parece que há a opção – mais rápida, diga-se de passagem – de ir do Eibsee direto ao topo do Zugspitze, de teleférico (e de lá descer de teleférico ao glaciar)!

Assim, confira os detalhes do percurso no site oficial.

E veja também os preços atualizados do percurso completo aqui e aqui.

Outras montanhas na região de Garmisch-Partenkirchen

Em tempo: a região de Garmisch-Partenkirchen tem outras montanhas, mas não me informei sobre os atrativos delas e a relação custo-benefício comparadas ao Zugspitze. De qualquer maneira, aos interessados, são elas: Garmisch-Classic e Mont Wank.

Por fim, espero que as dicas sobre Garmisch-Partenkirchen tenham te inspirado a conhecer o destino! E aí, quem se animou?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Nanda Gaspar

Nanda Gaspar

Ama viajar, planejar e falar sobre viagens. Incansável na busca da localização perfeita e na logística dos roteiros redondos, curte história, fotografar e conhecer a cultura local. Aproveita o período sabático em Portugal para escrever no blog, entre um parquinho com o filhote e a escolha da próxima cidade medieval, praia paradisíaca ou metrópole enérgica, para te inspirar a viajar mais e melhor.

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa Newsletter