Skip to content

Serra da Estrela: o que fazer e dicas de roteiro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
UM GUIA SOBRE A SERRA DA ESTRELA: QUANDO IR, COMO CHEGAR E SE LOCOMOVER, O QUE FAZER, ONDE FICAR E ONDE COMER

Antes de mais nada, a Serra da Estrela é um dos destinos mais lindos de Portugal e eu fiquei realmente encantada. Afinal, são inúmeros atrativos, sendo assim um lugar perfeito para se conectar com a natureza. Depois de alguns dias por lá, em fevereiro de 2020, vou compartilhar aqui minhas melhores dicas sobre o que fazer na Serra da Estrela. Nesse sentido, já adianto que são muitas opções bacanas, de natureza a vilarejos históricos. Da mesma forma, vou ilustrar nossa experiência de onde comer e onde ficar na Serra da Estrela.

SOBRE A SERRA DA ESTRELA

Em primeiro lugar, a Serra da Estrela é famosa particularmente por três características únicas: abrigar o ponto mais alto de Portugal continental, ter a possibilidade de neve e produzir o queijo mundialmente famoso. Definitivamente cada um desses itens já justificam a ida a esse lugar incrível.

Porém, a Serra tem muito mais a oferecer. Afinal, além disso tudo, ela é um destino perfeito para amantes da natureza, já que que ela pertence a um parque natural. Assim, temos uma fauna e flora únicas, formações rochosas peculiares, vale glaciar, lagoas, cascatas e praias fluviais, bem como mirantes e estradas com uma paisagem de perder o fôlego. Juntamente com tudo isso, nela vemos vilarejos antigos cheios de charme, assim como alguns exemplares das aldeias históricas de Portugal, da qual eu falarei mais abaixo. Ou seja, é um destino muito rico e imperdível em uma viagem por Portugal.

Serra da Estrela e suas montanhas

QUANDO IR À SERRA DA ESTRELA

À primeira vista, é verdade que muitos turistas se atraem pela possibilidade de ver neve. Contudo, a Serra da Estrela tem atrativos para o ano o todo. 

Em outras palavras, no inverno realmente há mais chance de ver neve e curtir o frio nas montanhas. Por outro lado, o verão é mais convidativo para aproveitar as praias fluviais e picnics. Assim como, em geral, a primavera e outono possuem temperatura mais amena, sendo dessa maneira adequado para caminhadas e percorrer as cidades, por exemplo.

Porém, o clima é imprevisível e tenho que avisar que nós fomos no inverno e não havia neve acumulada, uma vez que chegamos logo depois de uma onda de calor. No entanto, como estava bem frio, a estância de ski conseguiu produzir neve artificial para complementar na estação. Seja como for, conseguimos fazer muitos passeios e curtir o clima de montanha.

COMO CHEGAR E COMO SE LOCOMOVER

Nós chegamos na Serra de carro alugado. Assim, fizemos uma viagem de cerca de 3 horas a partir de Lisboa e levaria cerca de 2 horas e meia a partir do Porto.

Da mesma forma, seria possível chegar de trem, via Comboios de Portugal, à Guarda e Covilhã, que são as maiores cidades. Ainda é possível ir de ônibus, pela Rede Expressos, que também faz o transporte até cidades menores, como Seia, Gouveia e Loriga.

Por outro lado, para se locomover internamente pela Serra, a melhor opção é mesmo o carro. Ainda que nada seja tão longe, são distâncias consideráveis, fora eu não ter visto transporte público pelos atrativos de natureza.  Contudo, se você não dirigir, pode pensar em se hospedar em Covilhã, o epicentro turístico da Serra, e pegar táxi ou tentar fechar os passeios com guias.

O QUE FAZER NA SERRA DA ESTRELA

PRINCIPAIS ATRATIVOS NATURAIS

TORRE

É simplesmente o ponto mais alto de Portugal continental. Trata – se de um espaço amplo, com vista privilegiada, devido à sua altitude, e que tem com uma construção em forma de Torre a fim de marcar o local mais elevado da Serra e do país.  No inverno, pode se encher de neve. Sim, eu digo pode porque fomos em fevereiro e depois de uma onda de calor o local não estava todo branquinho como imaginamos. Ainda assim, vale pelo marco e pelo visual. Contudo, o visual mais bonito que tivemos do local foi na estrada, pertinho da torre em si, logo depois do pôr do Sol.

Dicas sobre o que fazer na Serra da Estrela

NEVE (ESTÂNCIA DE SKI)

Nos arredores da Torre, está a Estância de Ski da Serra da Estrela. Ela pode estar aberta, sobretudo no inverno, quando há mais chance de frio e neve. Ainda que o local não esteja entre as principais pistas de esportes de inverno na Europa, ele possui pistas, aulas do ski e, além disso, um espaço para brincar na neve. Ao menos quando fomos, este era de graça. Devido ao fato de que não havia neve suficiente acumulada e estava bem frio, eles geraram neve artificial para abrir algumas pistas.

Vale conferir no site da Estancia de Ski os valores de entrada e de aluguel de equipamentos, bem como se as pistas estão abertas e as suas condições. Parece que não há aluguel de roupas, apenas venda. Nesse sentido, nós compramos alguns itens na Decathlon de Lisboa antes de viajar.

Pista de ski na Serra da Estrela

LAGOA COMPRIDA

Trata-se da maior lagoa da parte superior da Serra da Estrela. Originalmente uma lagoa pequena, hoje é o maior reservatório da Serra, por conta da construção de uma barragem. O visual dela é bem bonito e vale a pena a visita.

Vista panorâmica da Lagoa Comprida na Serra da Estrela

COVÃO DOS CONCHOS

Ainda que seja apenas um túnel que conduz água à Lagoa Comprida, sua fama se deve ao fato de parecer um buraco misterioso saído de um filme de ficção científica.

Contudo, a chegada lá não é fácil. Afinal, são 10 Km (ida e volta). É verdade que a maior parte da trilha é basicamente uma caminhada de nível fácil. Porém, além da distância, é primordial levar calçados adequados, uma vez que cruzamos algumas poças e acabamos por fazer boa parte do caminho com os pés com lama e água, no inverno e com um bebê a tira colo. Na volta, vimos um 4×4 cruzando o caminho e não sei se alguma empresa faz o percurso dessa maneira. Ou seja, apesar de ser uma construção diferente, eu achei que só compensa para quem aprecia a caminhada em si, que, de fato, é em meio a natureza e garante boas paisagens. 

Dica sobre o que fazer na Serra da Estrela: Covão dos Conchos

PRAIAS FLUVIAIS: A PRAIA FLUVIAL DE LORIGA

A Serra da Estrela é a nascente de três dos principais rios de Portugal. Como resultado, existem várias praias fluviais por lá. Sem dúvida a Praia de Lorigas, que está localizada na vila de mesmo nome, em um vale glaciar, é uma das mais bonitas do país e, por essa razão, foi a que escolhemos conhecer no nosso roteiro. Na realidade, apesar do nome de praia, ela concentra diversas piscinas naturais.

Mas além dela, a Serra possui diversos exemplares que não chegamos a conhecer. Por exemplo, a Praia Fluvial do Rossim, a mais alta de Portugal, ou a Praia Fluvial de Unhais da Serra, com boa infraestrutura.

Praia Fluvial de Loriga, dica sobre o que fazer na Serra da Estrela

VALE GLACIAR DO ZÊZERE: PAISAGENS DA ESTRADA N 338 (E CASCATA POÇO DO INFERNO)

A estrada N 338, que liga a parte alta da Serra à vila de Manteigas, percorre o Vale Glaciar do Zêzere, um dos maiores da Europa, e assim possui um visual simplesmente espetacular com suas belezas geológicas peculiares.

Aliás, explicando: vale glaciar é quando, em uma região de montanhas, existe um vale em forma de U, decorrente da erosão de um glaciar (uma enorme massa de gelo) que se encontrava no vale atual.

Depois de cruzarmos a estrada, fizemos um desvio de uns 15 minutos para conhecermos o Poço do Inferno, uma das cascatas mais famosas da Serra. Ainda que eu não tenha a achado tão impressionante, de fato, a achei bem bonita e no caminho tem alguns mirantes com um visual incrível da Serra.

COVÃO D’AMETADE

Trata- se de uma área arborizada com rica vegetação, cercado por alguns dos picos da Serra (Cântaro Raso, o Cântaro Gordo e o Cântaro Magro) e onde se localiza a nascente do rio Zêzere. Infelizmente não chegamos a fazer esse passeio, mas parece que é um local agradável para caminhadas ou descanso.

VILAREJOS CHARMOSOS

SABUGUEIRO

Sabugueiro é a aldeia mais alta de Portugal. Além disso, ela é conhecida por ser terra de pastores, do seu queijo de altíssima qualidade e dos cães da Serra. Assim, em um fim de tarde lá conseguimos ver tudo isso: um senhor com inúmeras ovelhas, algumas lojinhas de queijo (onde fiz questão de comprar alguns, já que são realmente deliciosos), bem como os cachorrinhos peludos. No entanto, juntamente a tudo isso, vimos um pôr do Sol espetacular com a linda aldeia ao fundo e sua arquitetura de casas de granito. Em outras palavras, contemplar o fim de tarde em Sabugueiro foi certamente um dos pontos altos da nossa viagem à Serra da Estrela.

Sabugueiro, dica imperdível sobre o fazer na Serra da Estrela

SEIA

Seia é uma pequena cidade (ainda assim bem maior que Sabugueiro, que é uma aldeia) conhecida pelo seu pão. Tanto que é lá que fica o Museu do Pão, um dos principais existente sobre a temática, e que conta da história e processo do fazer pão, assim como também abriga um famoso restaurante. Infelizmente, o museu estava fechado quando fomos. Dessa maneira, vale consultar com antecedência os detalhes sobre o funcionamento do Museu.

Além dessa atração, Seia também tem diversas lojinhas de queijo (onde também garantimos um ótimo exemplar) e um centro histórico simpático, onde ficam a Igreja Matriz e a Igreja da Misericórdia.

Museu do pão, em Seia, dica sobre o que fazer na Serra da Estrela

LORIGA

Loriga é uma vila cercada de belas montanhas, tanto que frequentemente é chamada dentro do país de “Suíça portuguesa”. Certamente, parte da sua fama vem da sua bela praia fluvial, da qual falo acima.  Contudo, a vila tem seu charme de qualquer maneira, em meio a casinhas brancas, socalcos e clima de natureza.

Visitar Loriga, doca sobre o que fazer na Serra da Estrela

MANTEIGAS

Sem dúvida, uma das coisas que mais ouvimos falar sobre Manteigas é a sua boa gastronomia. Nesse sentido, foi lá que provamos as feijocas típicas da região, conforme falo abaixo, nas dicas da gastronomia. Por outro lado, a vila é simpática com casinhas brancas e aos pés do Vale glaciar do Zêzere, por onde passamos para chegar nela.

Manteigas, cidade portuguesa com boa gastronomia

CENTRO HISTÓRICO DE COVILHÃ

Covilhã é uma cidade grande, no contexto da Serra da Estrela, com pouco mais de 50 mil habitantes e a principal cidade turística da região, com oferta de hotéis e boa gastronomia. Porém, apesar do tamanho maior em comparação às pequenas vilas, ela também tem um centrinho histórico simpático, onde se destacam a Praça do Município, o Miradouro das Portas do Sol, igrejinhas e o Museu do Lanifício.

Covilhã, dica sobre o que fazer na Serra da Estrela

Por fim, essas foram as cidades que mais nos interessaram, razão pela qual as incluímos no nosso roteio. Contudo, mesmo além das aldeias históricas, da qual falarei logo abaixo, a Serra tem outras vilas/ cidades que não conhecemos. Por exemplo, Folgosinho (onde teria nascido Viriato, o herói lusitano), Guarda (uma cidade maior), Gouveia (que tem centrinho histórico) e Unhais da Serra (que tem uma praia fluvial com boa estrutura)

ALDEIAS HISTÓRICAS

Existe uma rede que reúne 12 aldeias históricas do centro de Portugal com relevância histórica e patrimonial, de aldeias em granito ou xisto. Dito isso, 4 delas ficam na própria Serra da Estrela ou arredores:  Linhares da Beira (na Serra), Sortelha, Belmonte e Piodão (aos pés da Serra).

Dessa maneira, além das vilas de que falo acima, acho válido incluir ao menos uma destas aldeias históricas no roteiro.

Nós escolhemos conhecer Sortelha e também demos uma passadinha por Belomonte (são bem próximas uma da outra).

SORTELHA

Sortelha é uma das aldeias medievais mais bem preservadas do país. Entre suas antigas construções de pedra, vimos das suas muralhas uma vista espetacular, e contemplamos seu Castelo e Largo do Pelourinho. Uma graça de lugar, ainda que mínimo e, quando fomos, quase totalmente deserto. Aliás, uma curiosidade é que o filme “Meu passado me condena 2” foi filmado lá (ainda tenho que assistir para rever a vila).

Sortelha, uma das aldeias históricas de Portugal

BELMONTE

Certamente boa parte da fama de Belmonte vem do fato de ser a vila de nascimento de Pedro Álvares Cabral. Por lá, se destacam o Castelo de Belmonte e o Museu dos Descobrimentos. Por outro lado, nem só da família Cabral vive a aldeia: ela também tem um bairro judeu bastante bem preservado que vale a visita. 

LINHARES DA BEIRA E PIODÃO

Porém, em outra ocasião também quero muito conhecer Linhares da Beira, com rico patrimônio e por esse motivo frequentemente denominada como “museu ao ar livre”, e Piodão, conhecida como Aldeia Presépio, uma vez que parece ser uma das mais bonitas, com suas casas de xisto negro, tanto que foi eleita uma das 7 maravilhas de Portugal nessa categoria.

COMO MONTAR SEU ROTEIRO PELA SERRA DA ESTRELA

Definitivamente, montar um roteiro pela Serra da Estrela é uma missão que depende de muitos fatores. Afinal, além da quantidade de dias disponíveis, dos interesses, ritmo de viagem e cidade escolhida como base, a época do ano faz muita diferença.  Isso porque, possivelmente, quem vai no inverno pode querer fazer atividades de neve, bem como quem viajar no verão pode dar uma atenção maior às praias fluviais, por exemplo.

Enfim, vou colocar aqui um roteiro de 3 dias só para ilustrar. Assim, ele foi baseado nas atividades que fizemos, no inverno sem neve (apenas a produzida na estância de ski), com hospedagem em Penhas da Saúde, em Covilhã, com algumas alterações pontuais que teria feito:

ROTEIRO DE 3 DIAS NA SERRA DA ESTRELA

  • 1 (da chegada): Loriga, Seia (Museu do Pão, com almoço?) e fim da tarde em Sabugueiro
  • 2: Torre, almoço em Penhas da Saúde, Lagoa Cumprida (+ neve na estação de ski ou trilha do Covão dos Conchos, antes ou depois do almoço)
  • 3: Covão D’Amentade, N 338/ Vale Glaciar do Zêzere (se possível, com desvio Poço do Inferno), almoço em Manteigas, 1 ou 2 Aldeias Históricas

ONDE FICAR NA SERRA DA ESTRELA

Como resultado de tantas aldeias e cidades fofas, há várias opções de onde ficar na Serra da Estrela. No entanto, diria que as principais são:

COVILHÃ

Covilhã, o epicentro turístico da região, cidade maior e com a melhor estrutura, e assim concentra diversas boas opções de onde ficar na Serra da Estrela. Mas apesar de ser maior, a cidade conta com um centrinho histórico aconchegante;

PENHAS DA SAÚDE

Penhas da Saúde, parte da estrada mais no alto da montanha e mais próximo da Torre, e que pertence a Covilhã, também estando relativamente próxima de carro ao seu centro (a região em si não tem um centro).

Aliás, foi a nossa escolha de onde ficar na Serra da Estrela, mais especificamente no Luna Hotel dos Carqueijais. Em resumo, pegamos uma promoção e achei o custo benefício excelente, bom café da manhã, quartos ainda que pequenos confortáveis e principalmente uma vista linda da região. Além disso, fica, de carro, relativamente próximo da Torre, da Estância de ski e do Centro de Covilhã, que concentra diversas opções de serviços. 

MANTEIGAS

Manteigas, cidade com certa estrutura de hotéis e restaurantes, mas bem menor que Covilhã e mais no “meio da Serra”.

OUTRAS OPÇÕES

Seja como for, sobretudo a quem estiver de carro, achando um hotel aconchegante e com bom custo benefício, vale considerar. Até mesmo nas vilas menores, como a encantadora Sabugueiro, a quem curtir essa linha lugar bem pequeno e charmoso.

Covilhã, dica sobre onde ficar na Serra da Estrela

GASTRONOMIA E ONDE COMER NA SERRA DA ESTRELA

Queijo da Serra da Estrela e Pão de Seia

Em primeiro lugar, antes mesmo de falar dos restaurantes, sugiro aos fãs de queijo abusar dessa delícia da Serra. Afinal, trata-se possivelmente do queijo mais famoso de Portugal e, de fato, eu acho delicioso. Dessa forma, nós compramos vários queijos (em Ceia e Sabugueiro) para degustar no quarto do hotel mesmo e para levar de volta a Lisboa. Mas, além disso, no café da manhã do hotel, ele também era disponibilizado. Também provamos o pão de Ceia, conforme eu falo acima. Ou seja, a gastronomia da Serra certamente é um dos seus pontos altos. Enfim, vou falar um pouco dos restaurantes.

Varanda da Estrela – Penhas da Saúde

Trata-se de um restaurante rústico e aconchegante, com localização privilegiada no alto da Serra. Pedi um Bacalhau com espinafre em crosta de broa (12 euros na época) que estava simplesmente maravilhoso! Por fim, a conta para 2 adultos (e um bebê) deu 35 euros.

Restaurante Varanda da Estrela, dica sobre onde comer na Serra da Estrela

Restaurante Berne – Manteigas

Foi um restaurante onde resolvemos experimentar as famosas feijocas de Manteigas, uma espécie de feijoada com um feijão cultivado na altitude e águas cristalinas da bacia do Zêzere. Aliás, o prato estava ótimo e tivemos uma boa experiência. Ainda mais que achamos o preço justo, cada prato saiu por cerca de 12 euros e juntamente a uma sopinha e bebidas a conta fechou em 35 euros para 2 adultos e um bebê.

Restaurante Berne, dica de onde comer na Serra da Estrela

Por fim, listo outros restaurantes que eu gostaria de ter experimentado também:

Lenda Viriato em Unhais da Serra (restaurante super elogiado por ser temático e bem decorado, da Lenda Viriato, e com fama de boa comida), Puro Restaurante em Penhas da Saúde (pelo ambiente e gastronomia), O Albertino em Folgosinho (por ter um menu fixo com várias entradas e pratos, a la rodízio) e Alkimya em Covilhã (parece bom e romântico).  

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Nanda Gaspar

Nanda Gaspar

Ama viajar, planejar e falar sobre viagens. Incansável na busca da localização perfeita e na logística dos roteiros redondos, curte história, fotografar e conhecer a cultura local. Aproveita o período sabático em Portugal para escrever no blog, entre um parquinho com o filhote e a escolha da próxima cidade medieval, praia paradisíaca ou metrópole enérgica, para te inspirar a viajar mais e melhor.

1 Comment

  1. Fiquei com vontade de conhecer e saborear as delícias da Serra da Estrela! Adorei as dicas!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa Newsletter